ALTA NA VENDA DOS SEMINOVOS SINALIZA UMA MUDANÇA DE CONCEITO NO MERCADO DE AUTOMÓVEIS DO BRASIL

De acordo com os números do mercado automobilístico referentes aos cinco primeiros meses de 2016 a venda de carros usados sofreu queda em relação ao ano passado, mas os seminovos – carros de 0 a 3 anos de uso - cresceram em 24,1% as suas vendas. Vale lembrar que em 2015 os seminovos fecharam com 33% de alta em relação ao período anterior.

Diante dessa tendência de mercado, nos perguntamos quais os fatores que contribuem para essa crescente procura por carros com essa faixa etária, visto que o segmento de carros usados já sofreu entre março e maio desse ano a terceira baixa consecutiva em comparação a 2015. Relatamos abaixo três pontos fundamentais que podem explicar esse novo rumo do comércio de veículos.

FATOR PREÇO

Conforme pesquisa recente, a diferença de preço entre um carro zero-quilômetro e outro de mesmo modelo, mas com um ano de uso, pode chegar a 20%. Além disso, em 2016 os carros novos já tiveram alta acima de 4% enquanto os usados e seminovos mantêm seus valores estáveis – alguns modelos até sofreram redução.

FATOR CRISE

Hoje em dia não contamos mais com a redução de IPI, muito menos com planos econômicos que facilitem o financiamento de veículos, como se via algum tempo atrás. Está cada vez mais difícil oferecer uma boa entrada, e isso tem dificultado o fechamento do negócio para carros novos. Sem dúvida, o controle financeiro é a nova ordem da cultura consumista brasileira.

FATOR EQUIVALÊNCIA

Se você pudesse optar entre um carro novo e outro seminovo de motor superior e em excelente estado de conservação, qual seria sua escolha?

Fica evidente que, na hora de comprar um veículo, o consumidor faz ponderações entre os novos e os seminovos antes de efetuar a compra, pois o custo-benefício atualmente está bastante favorável aos carros seminovos, principalmente aos modelos populares, que têm apresentado mínimas alterações nos últimos dois anos.