COMPRE A SUA. SEMPRE ASSIM: QUANDO A CRISE APERTA, A BICICLETA VIRA MODA NOVAMENTE

Mariana é uma dona de casa que diariamente utilizava o transporte público para levar o filho menor ao colégio, que fica a uns três quilômetros de sua casa. Mas com a alta no preço da passagem de ônibus e na cesta básica, ela decidiu abrir mão do transporte e resgatar uma velha e querida companheira das ruas, que sempre esteve presente na sua lembrança, mas andava meio encostada e empoeirada depois que ela atingiu certa idade.

Estou falando da bicicleta. Peça de luxo em outros tempos, mas atualmente só cultuada por atletas de rua ou competidores profissionais.

Pois é... cresce a crise econômica no país, desestabilizando a classe média, incentivando a sociedade a repensar suas prioridades. É nesse instante que a magrela de duas rodas volta à cena, para amenizar os problemas de locomoção, e convenhamos, é um ótimo exercício físico para quem se acostumou ao volante, vítima do sedentarismo.

Se você ainda tem dúvidas que as bicicletas voltarão a conquistar novos e velhos adeptos, vejamos abaixo algumas razões que podem levar a tal feito.

PREÇO CURTO, PRAZO LONGO

Uma bicicleta simples, feita de aço, é o suficiente para locomover-se entre grandes distâncias.

O preço de uma nova gira em torno de R$ 350 reais e não tem prazo de validade estipulado, desde que realizada a manutenção regularmente.

CUSTO-BENEFICIO

Considerando o preço médio de R$ 3,50 reais por uma passagem de ônibus urbano, o custo de uma bicicleta é o equivalente a 100 passagens, ou seja, mais ou menos dois meses de transporte para o trabalho, considerando idas e vindas. Depois desses dois meses, o uso contínuo da bicicleta representará uma redução de gastos na sua renda.

PEDALADAS DE BEM-ESTAR

De acordo com especialistas, uma pedalada pode queimar de 180 a 300 kcal por hora. Isso representa uma atividade física diária que lhe trará mais disposição, até mesmo para enfrentar o caos do trânsito quando estiver ao volante. Além disso, a bicicleta é um símbolo da sustentabilidade ambiental, visto que se trata de um transporte não poluente.

MANUTENÇÃO BARATA

É incomparável o custo de manutenção de uma bicicleta simples com qualquer outro transporte, pois só o fato de não utilizar motor já é um ganho positivo. Outro fator relevante são as peças, que têm valor acessível e são fáceis de encontrar em qualquer cidade.

De fato, a pobreza crescerá. Com ela, novas formas de resolver velhas necessidades. Com menos dinheiro, o transporte não motorizado sempre avança, em qualquer lugar do mundo.

Não será diferente aqui. Os motoristas que acostumem com ciclistas nas ruas.