O TRANSPORTE AÉREO GANHA MAIS UM CONCORRENTE: O UBERCOPTER

Muita gente já deve conhecer o serviço de transporte urbano que vem revolucionando as grandes capitais do país: o aplicativo Uber, que até já tirou o sono dos taxistas devido a concorrência pelos passageiros, e culminou em manifestações públicas por parte dos motoristas de táxi contra os utilizadores do software. Se isso já não bastasse, o desenvolvedor do aplicativo decidiu também oferecer viagens curtas de helicóptero a partir do mês de junho.

Conheça agora o UberCOPTER.

 

O UBERCOPTER

O serviço é acessado pelo mesmo aplicativo dos carros, e está sendo testado na região da Grande São Paulo e em Campinas. Também já está autorizado a circular em quatro aeroportos localizados nessas áreas. O valor é calculado de acordo com a distancia, e além do vôo é cobrada a taxa de pouso.  O projeto é resultante de uma parceria entre a Uber e a Airbus, e também conta com três empresas do ramo de Táxi Aéreo: Air Jet, UniAir e Helimart. Em relação às bagagens, o máximo permitido é de 5kg para malas de mão e 25kg se transportada no bagageiro dos helicópteros.

 

CONCORRÊNCIA E EVOLUÇÕES DO UBER

 

Depois da chegada do Uber com seu inovador serviço de transporte em demanda, outras empresas resolveram criar plataformas similares que prometem revolucionar o mercado. Um deles é o Flex, da Amazon, que disponibiliza para os usuários do aplicativo alguns serviços de entrega para clientes da empresa, pagando-os pelo frete da mercadoria. Até mesmo no ramo de táxi aéreo o Uber já tem um concorrente à altura. Trata-se do Fly Helo, que já atua por dois meses na mesma região da Grande São Paulo, porém oferece viagens de maior escala, inclusive para o estado do Rio de Janeiro. A empresa conta com helicópteros de até cinco lugares disponíveis e também oferece voos de jatinho.

 

POLÊMICAS

 

Muitos taxistas das regiões metropolitanas têm protestado contra o uso do aplicativo, alegando que ele gera demanda de serviços para pessoas não credenciadas a trabalhar transportando passageiros e aumentando a concorrência com os motoristas regularmente autorizados. Pelo jeito, muita coisa ainda será discutida até que se declare quem vencerá essa batalha, travada entre homens e softwares.